Cultivando amigos

Voltamos!  Os dois dias em São Paulo foram muito intensos e a semana começou animadíssima. Mas não queria passar mais um dia sem comentar o quanto é comovente e emocionante ver a amizade da turminha do P.O., onde Léo estudou até ano passado.
Fomos oficialmente para a festa da Nat, mas aproveitei para convidar todos para uma prévia no sábado. Das sete famílias, seis compareceram!! O carinho que eu e Léo recebemos é indescrítivel. Fábio trouxe um desenho dizendo "que bom que você veio" e todos o abraçaram, brincaram e estavam eufóricos de estar com meu filhote. Os pais não ficaram atrás no afeto. Fomos todos almoçar juntos e ainda emendamos um programa com o amigão Victor.
Tenho refletido muito sobre esta dicotomia na vida do Léo. Os amigos de São Paulo são diferentes dos da escola que, por sua vez, são diferentes dos queridos primos Clara, Tomás, Matias e Alexandre.
Léo sente um pouco quando vai para Sampinha e hoje me soltou um "minha vida era mais fácil em São Paulo". Mas eu e Lucrécio apostamos que o tempo provará que esta diversidade e o próprio desafio de se inserir num novo grupo trarão um aprendizado importante. Mas o coração de mãe se aperta... Até ler o e-mail do meu genial e generoso compadre Luiz, trazendo reflexões da escola de Clara. Um dos textos particularmente me tocou neste momento pós SP:
"Uma educação completa tem em seus objetivos não unicamente o crescimento saudável sob o ponto de vista físico e intelectual. Tem, também, como meta, o desenvolvimento pleno das capacidades morais, da potencialidade de amor ao próximo, das possibilidades de ajudar a que cada criança, cada jovem se transforme em agente de paz. Uma paz que não se limite ao cessar fogo, ao cessar lutas externas, mas sim, a uma paz que vem do íntimo, da paz que é conviver com respeito e amor ao outro, até mesmo com as maiores diferenças. Diferenças trazem riqueza social. Respeitar esta riqueza é saber viver em paz."

A autora é Sônia, diretora da Mei Mei, escola montessoriana onde Clara estuda.  Outras reflexões bacanas podem ser vistas AQUI, no próprio site da escola.
Obrigado Luiz, por lembrar-me que este tempo de transição passará e ficaremos todos bem felizes e em paz.

Marcadores: