Maternidade de resultados

No último dia 16, tive um encontro mágico: uma hora particular de Roda de Mães.
A conversa com Camila e Érica rendeu muita reflexão sobre a minha relação comigo mesma, com as crianças e com a maternidade.
E ajudou a segurar mais as pontas, mesmo na hora da birra do Léo ou da febre da Olívia...
O mais libertador é que as duas são extremamente generosas, reconhecendo a todo instante a dificuldade de ser mãe equilibrada todo o tempo. Mas sem passar a mão na cabeça, dizendo as coisas que tem que ser ditas, já que ser mãe não é para distraídos nem preguiçosos, como diz  a sábia psicóloga Lidia Aratangy .
Adorei também o pragmatismo da proposta. Recebi sugestões maravilhosamente simples de como lidar com o momento mais difícil do meu dia: quando estamos todos cansados na volta da escola. Veja só que prático:
1) Por as crianças na cama mais cedo: os meus dormiam ás 20h. Agora a meta é 19:30h e já estamos chegando a 19:45min... O racional é que as crianças demonstram sinais de cansaço (choro descontrolado, birra por nada, dormirem muito rápido), portanto, cama para elas!
2) Eleger temas para as tarefas do final do dia (banho, jantar, volta da escola). Eu e Léo elegemos vários assuntos interessantes (caçador, pirata, dinossauros, Scooby Doo, etc) e pusemos em cartões numa caixa. Toda manhã ele sorteia um e ficamos planejando o que fazer no final do dia. Hoje é dia de Scooby, onde o Léo viu o DVD, jantar cachorro-quente e se veste de Salsicha (camisa verde e calça marrom). Ontem foi dia de pirata (os dois se vestiram de piratas, o banho foi com bolhas de sabão e espadas e também teve história temática). E já tivemos várias outras. Um de meus favoritos foi o dia dos bichos, onde comemos comidas com as mãos (milho, batata de carinha e tirinhas de peixe...).
3) Brincar de boneca com a mamãe: ainda não pratiquei muito, mas achei muito legal a ideia de deixar a Olivia me pentear, passar hidratante e outras coisinhas de mulher para reforçar os vínculos...
4) Conter sem machucar (nem a mãe,nem a filha): Olívia é muito brava, então Camila me ensinou uma técnica para abraçá-la na hora do nervoso sem que ela me machuque. Assim fico perto dela e de pouco em pouco vou aconchegando ela a mim.
5) Admitir que raiva é um sentimento legítimo e lidar melhor com ele: a solução que eu encontrei, peguei emprestada de minha tia avó Noca. Eu e Léo elegemos uma joaninha de FOM para canalizarmos a raiva minha e dele. Então quando estamos muito zangados, temos direitos a chutar e bater na joaninha, e assim soltar a energia. Parece meio extremo, mas eu garanto que meu compadre Luiz cresceu um adulto muito calmo e centrado...

O resultado: em duas semanas, tenho estado mais calma e tenho retomado o controle das situações bem mais cedo. Claro, ainda temos momentos de caos, mas são menos e mais curtos... As crianças estão mais tranquilas também e temos nos divertido muito mais juntas.

Obrigada, Roda de Mães! Mal posso esperar nosso próximo encontro!

Marcadores: ,