Da série Livros que eu Amo! The Art Of Non-Conformity

Queridos, aproveitando as férias, peço licença para republicar esta resenha que escrevi para o Bees Office:


Pessoal, hoje na série Livros para o Coworker um livro que está influenciando muito minha vida!

Ganhar dinheiro fazendo o que gosta, viver pelas próprias regras, MUDAR O MUNDO. Eu quero tudo isso. O caminho é difícil, requer bastante coragem, mas este é um movimento escolhido por mais e mais de nós, coworkers.

E é precisamente este o assunto do livro The Art of Non-Conformity.

Guillebeau é um viajante por escolha, envolvido com causas na África e blogueiro dedicado a estimular todos nós a buscar um caminho próprio, mesmo que diferente (e, portanto rejeitado) de muitos outros.

O livro é a conseqüência natural do blog, embora eu tenha esbarrado nele primeiro, graças ao fenomenal sistema Amazon de recomendações.

Outro aspecto bacana é que há material complementar disponível na internet, para quem quiser aprofundar alguns assuntos. Um ao qual pretendo me dedicar é “travel hacking” que é o conjunto de aprendizados do Chris sobre como viajar frequentemente gastando o mínimo possível. Ele elegeu um objetivo ambicioso para atingir aos 35 anos: conhecer TODOS os países do mundo. São 192 e ele tem três anos para visitar os 41 que faltam...

Esta é uma de minhas partes favoritas do livro: quando ele fala sobre a importância de termos objetivos para atingir uma vida plena. Ele fala bastante de Life Lists e me inspirou a ter um moleskine sobre as experiências que quero viver. Nada tão estruturado como ele propõe, mas já é um começo.

E um dos primeiros gols da minha lista é ir no “World Domination Summit” em Portland, Oregon, no próximo junho. Lá estarão os autores da blogosfera que eu mais admiro e a agenda é simplesmente genial!

Mas voltando ao livro: outra mensagem que adorei é a de que dentro do nosso projeto, tem que estar a ideia de servir o outro. Acho que tem tudo a ver com coworking. A generosidade, a colaboração, o espírito de ajudar são valores básicos na prática do coworking. Chris fala muito disso e me identifiquei imediatamente (tenho uma consultoria de organização de ideias, a Nutshell, cuja missão é “ajudar visionários a frutificar, sendo felizes).

Achei o formato do livro bem interessante também. Ele divide em três grandes partes e entre elas, duas páginas de interlúdio. Estes interlúdios apresentam uma reflexão forte sobre como o caminho diferente pode ser o melhor... Ele fala, por exemplo, do que você precisa e não precisa. As coisas desnecessárias (embora úteis em alguns casos, como ele próprio reconhece): experiência, anos de preparação, papelada (incluindo diplomas, certificados, recomendações, etc!) e mentores. Tudo isso pode ajudar, mas não é imprescindível, na opinião dele. Por outro lado, o que é absolutamente necessário: paixão, uma visão e um plano de como atingi-la, comprometimento e a respostas para duas perguntas:

1) O que eu realmente quero levar da vida?

2) Como eu posso ajudar os outros de uma maneira que ninguém mais pode?

Ele inclui estas duas perguntas no projeto “Postcards” do blog dele, onde pessoas do mundo todo enviam um cartão-postal com sua resposta para estas perguntas. Eu estou pensando no meu!

Enfim, acho o livro imperdível para quem, como nós, está buscando criar um negócio, fazer a diferença e, no meio de tudo, ser um colaborador entre competidores. Coworkers uni-vos!! O mundo nos espera!

Este post e outros sobre o mesmo tema podem ser encontrados no blog do Bees Office, onde sou colunista ás terças e quintas!

Marcadores: