Lá de onde eu vim


Hoje meus avós Celso e Gisela fariam juntos 186 anos. 101 dele, 85 dela.  Raízes vivas em mim.  Constituintes do que sou hoje e venho sendo a cada dia.
Presentes na simplicidade de seu afeto, na dureza pragmática de quem foi criado num outro tempo, sem tantas explicações. Semearam em mim sua Fé em Deus e nos homens.
Meu avô era homem emotivo e romântico, pelo menos depois de mais velho. Sempre me lembro deste diálogo entre os dois, que presenciei:
"Eu amo esta mulher" (minha avó, claro.).
Vovó, ruborizada: "Então deseje a sua neta um noivo que a ame assim também."
Resposta de meu avô, do alto de quase cinco décadas de vida em comum: "Impossível.  Não existe amor igual ao meu por você".
Meu avô foi durante muitos anos empregado de uma loja. Sem fazenda em terra de fazendeiros, filho caçula de uma família que perdeu muito com a crise de 29.  Soube construir sua vida apesar dos obstáculos, da instrução limitada, do jeito franzino. Sabia de cor os três momentos mais felizes da sua vida:
"O dia em que me casei. O dia em que nasceu minha primeira filha. O dia em que comprei minha primeira fazenda, com setenta anos.".
Minha avó foi mulher de muitos papéis.  Esposa por 48 anos, os últimos cuidando do marido dezesseis anos mais velho e já doente.
Mãe de seis filhos. Avó de nove netos.  E ainda curtiu bastante o primeiro dos quatro bisnetos.
 Mas não era só mulher de família, que sentava á mesa por último e acordava ás 6h para buscar pão.  Era também professora, Franciscana militante, voluntária em ONG, irmã presente.  Pianista, cantora, escritora, compositora. Como disse sua irmã Lili, no dia do seu enterro: "Gisela realizou todos seus talentos".
Minha avó foi criança e jovem serelepe, de verve e ousadia. Quase foi freira, mas voltou para casar-se com o homem que vinte anos antes dissera, "Essa é minha". Nasceram no mesmo dia, destinados desde sempre a uma história de amor.

Hoje homenageio este casal com quem tanto aprendi. Honro esta história de luta, dificuldade, alegria e realização.
A minha história.
Minha  inspiração para que eu honre também meus frutos, meus filhos e os netos que, quiçá, virão.
Feliz Aniversário Vovô Celso! Feliz Aniversário, Vovó Gisa. Boa festa aí no céu!

Marcadores: , ,