Asas para voar


http://livesimpler.blogspot.com/2006/06/liberdade.html
 Tenho pensado muito em sonhos e em modelos inspiradores de gente com fé no sonhar, mas com capacidade de fazer.
Afinal, sonho realizado nos faz tão mais felizes...

Neste espírito, outro dia eu perguntava ao meu marido:  "Você conhece algum Ícaro que tenha dado certo?" Ele prontamente respondeu: "Claro, Dédalo".
Para os que não conhecem a história de Ícaro, nem da canção dos anos oitenta, conto minha interpretação, aproveitando a imprecisão típica dos mitos gregos:
Dédalo era pai de Ícaro e viviam aprisionados por um rei vingativo. Mas Dédalo era um empreendedor engenhoso e criou asas de penas e cera para que escapassem. Antes de partirem, alertou o filho para o perigo de ficar muito perto do sol e derreter a cera ou ficar muito perto do mar e encharcar as penas.
No entanto, Ícaro esqueceu os conselhos sensatos do pai, deslumbrado com a liberdade recém-adquirida. Voou na direção do sol e acabou morrendo, asas derretidas em queda livre.
Dédalo, por sua vez, chegou do outro lado. Em que pese a dor terrível de perder um filho, conseguiu escapar da prisão em que vivia, usando seus talentos de artífice.
Por quê, então, Ícaro é tão mais famoso que Dédalo?
Acho muito poético e inspirador este arrebatamento de Ícaro. Este encantamento com a liberdade, com a amplitude, com a beleza do sol e do céu. Mas será que Dédalo também não sentiu o mesmo? Será que não respirou fundo o ar salgado, antevendo os dias melhores que viriam?
Gosto de crer que sim.  Mas nós, tão humanos, nos solidarizamos com Ícaro, que morreu de tanto sonhar. A fantasia do mártir, do sonhador em sofrimento... Ah, pura poesia e emoção.

Mas será? Será que não é mais maravilhoso viver uma vida inteira de sonhos, um após o outro? Quedas são inevitáveis, sem dúvida. Porém, poucas vezes são fatais. E sempre podemos escolher o próximo passo, mesmo quando sofremos a violência das eventuais imposições da vida.
Experimentar do tamanho de nossas asas. Reforçar as asas para experimentar mais. Para que um "sonho audaz" seja o primeiro de muitos. Realizados.

http://vamospelosonho.no.sapo.pt/lendas.htm#A lenda de Dédalo

Não sei como foi o final da vida de Dédalo. Mas gosto de imaginar que ele foi capaz de seguir sua vida feliz, apesar da saudade do filho. Que não se culpou ou ressentiu-se. Escolheu seguir em sua engenhosidade, construindo labirintos e caminhos de saída.  Sabendo que Ícaro se foi para que todos soubéssemos como é estar entregue a um sentimento tão fundo e tão intenso de liberdade. Mas podendo eleger o caminho de Dédalo e realizar nossos sonhos. Longe o suficiente do sol. Só o suficiente.


Marcadores: ,