De corpo presente

As possibilidades desveladas pela revolução virtual que  vivemos são incríveis.
Meu novo trabalho é um exemplo, gestado no blog e difundido via e-mail e facebook.
Novas ferramentas. Novos universos ao alcance de poucos cliques.
Tudo isso é realmente maravilhoso.
O paradoxo é uma relativa solidão.  Mergulhados em nossos computadores, tablets e smartphones, muitas vezes esquecemos a força do toque do outro. Do olhar do outro.
A presença do outro.
Felizmente, também são inúmeras as oportunidades de "estar com" no nosso mundo.
Espaços culturais, "meetups", o renascer dos cafés... A todo o tempo borbulham convites para estar junto, lado a lado. Basta ouvir.
Ler um livro é tão bom.  Ouvir ou ver seu autor, é diferente. Especial.
Senti isso vendo Leonardo Boff, Ferreira Gullar e Adélia Prado.
Trocar mensagens com amigos queridos é um alento em tempos de falta de tempo.
Mas um abraço apertado:  Delícia preciosa e inesquecível.
Nossos corpos trocam mensagens que nossas mentes e nossos dedos ágeis não capturam.
Palavras digitadas são uma parte de nossa expressão.  Nosso pulsar, nosso coração, nosso olhar, toda uma outra parte...
Há sentimentos que não podemos expressar sós com nossas telas e teclados.  É preciso estar frente a frente com nosso grande amigo, o outro.
Hoje invoco a nossa presença.  Que nossa luz possa iluminar a luz do outro.  Que sejamos um  eco do sentir do outro.
Que possamos expressar de corpo inteiro nossa apreciação por estar tão perto de nosso irmão.
Sou fã da expansão de caminhos.  O mundo digital abre novas portas, abençoadas e úteis.
Mas estejamos juntos, no mesmo tempo e espaço.  Que o espírito anda esgarçado, que a correria drena nossa frágil energia. Que estamos insones, sem certezas e com tanto a fazer.
Estejamos presentes, olho no olho, mão no ombro.
Que nosso testemunho fará o outro real.  Seus desejos, seus feitos heroicos.
Presença. De presente. No presente.

PS: Escrevo inspirada por duas horas de presença compartilhada com os apaixonantes colaboradores do Baukurs Cultural. Um celeiro de novidades. E presença. Muita presença.

Marcadores: