World Domination Summit 2013 #Day 2 por Lucrécio Brasil


Estou de volta para falar do segundo dia do World Domination Summit 2013.

Quem ainda não leu a primeira parte, é só acessar o link abaixo:
World Domination Summit 2013 #1
 

Para começar, fui experimentar uma das grandes atrações de Portland, o Voodoo Doughnut. Eu escolhi uma Voodoo Doll!Tem assunto melhor para iniciar o dia do que felicidade? Este foi o tema escolhido para a primeira palestra. Quem falou foiGretchen Rubin, autora do livroThe Happiness Project. Ela lembrou que a busca pela felicidade é um processo de autoconhecimento e que na busca por saber quem somos também vamos encontrar um pouco de tristeza ao descobrir quem nós não somos

Ela fez uma pergunta muito interessante para nos ajudar a descobrir um pouco mais sobre nós mesmos: O quê você fazia para se divertir quando tinha 10 anos? Segundo ela, provavelmente, esta mesma coisa ainda é capaz de nos colocar em um estado de felicidade. Outra dica. Como você reage a tentação? Algumas pessoas não podem dar a primeira mordida, outras se contentam com uma provinha. É importante entendermos como funcionamos, para reagir melhor em cada situação.

"Construa sua vida ao redor
do quê é verdadeiro sobre você."

Gretchen Rubin(Build a life around what is true about you.)
Agora foi a vez de Andrew Warner falar sobre dois conceitos: consciência destrutiva (counter mind) e consciência construtiva (true mind). A consciência destrutiva aparece antes de agirmos, antes mesmo de organizarmos uma ideia. É a nossa "conversa mental" que diz que tudo é muito difícil e que as chances de sucesso são mínimas. Ao invés de tentarmos ignorar, segundo Andrew, devemos nos focar em um pensamento específico (por exemplo: Não tenho tempo!) e questionar esta afirmação. Neste processo, duas perguntas são essenciais:
Isto é uma verdade absoluta?
Isto é realmente importante?
Após enfraquecer a nossa consciência destrutiva através do questionamento, devemos fortalecer a nossa consciência construtiva. Um pensamento construtivo é verdadeiro, útil e necessário. Resumindo a conversa: questione a sua consciência destrutiva e fortaleça a consciência construtiva.
"Não tente ser diferente.
Reconheça que você já é."
Good Life Project
(Don't try to be different, own the fact you already are.)

Antes do almoço, ainda deu tempo para Tess Vigeland contar um pouco da sua trajetória. É isso que o evento tem de melhor: pessoas contando sobre as suas experiências. Ela era âncora de um programa de rádio com 9 milhões de ouvintes semanais e colaboradora do New York Times, ou seja, um sucesso extraordinário! Mas decidiu que não conseguiria fazer mais isso. Mudou. Tudo virou unicórnios e arco-íris? Não. A primeira reação das pessoas foi "Que diabos você está fazendo?". É difícil, mas necessário, deixar coisas para trás. Nem sempre sabemos o quê vem depois. Tess não sabia nem o quê ela queria depois. Só sabia que não queria mais aquilo que deixou. Ela que tinha uma carreira vista como extraordinária, disse que depois da mudança não se sentia mais tão extraordinária. Como mudar isto? Só tem um jeito, redefinindo o quê extraordinário significa para você. Para fazer isso você tem que permitir-se um período de luto pelo que passou e começar a trabalhar para encontrar o próximo passo. Até aquele momento no WDS, ela ainda está procurando. Corajosamente, dividiu estas dúvidas e estas buscas com a audiência.

"Redefina o quê extraordinário
significa para você."

Tess Vigeland(Redefine what remarkable means to you)
Forças refeitas pelo almoço, fui para o workshop do dia "Como viver uma boa vida?" (How to Live a Good Life) com o Jonathan Fields. Ele baseou a conversa no credo do Good Life Project. Com muito bom humor falou sobre vários temas. Ressaltou o poder que todos temos de mudar a maneira como experimentamos o que nos acontece. Para a pergunta que sempre fazemos "E se eu falhar?", sugeriu outras:
Como posso me recuperar?
O quê vai acontecer se eu não fizer nada?
O quê vai acontecer se der certo? :)
Outra dica em direção de uma vida plena. Ninguém tem todas as peças do nosso quebra-cabeças. Mas algumas pessoas têm algumas destas peças. Procure estas pessoas. Mais uma? Maravilhe-se. Deixe que a experiência te comova, derreta, inspire. Depois, compartilhe. Tem muito mais lá no credo do Good Life Project.
"É descendo para o abismo 
que recuperamos os tesouros da vida.
Onde você tropeça, lá está o seu tesouro"
Joseph Campbell
(It is by going down into the abyss that we recover the treasures of life.
Where you stumble, there lies your treasure.)

De volta para o palco principal após o workshop, Steve Shalchlin emocionou todos com sua história de superação. Portador do HIV, tinha uma expectativa de vida de um ano. Sorteado para testar uma nova droga, sobreviveu e escreveu um musical off-broadway sobre suas experiências. Em cada música um pouco da raiva, da frustração, da amizade e da ressurreição. Uma das músicas mais bonitas fala de Lázaro.
Foto Armosa Studios
 








"Agora eu não estou mais preso a raiva
Preso dentro de algum jogo
Você levantou-me das cinzas
Quando chamou-me pelo meu nome"
Lazarus Come Out.
(Now I’m no longer caught in anger
Trapped within some game
You raised me from the ashes
When you called me by my name)

Último dia, última palestra. Foi a vez de Donald Miller falar sobre histórias pessoais e sobre como podemos criar (e viver!) histórias mais repletas de significado. Três questões podem ajudar muito neste processo de escrever ativamente a nossa biografia:
Quem é você?
O quê você quer?
O quê aconteceu quando foi em busca do quê queria?

Outra questão que ele levantou é que nossa personalidade muitas vezes é construída para esconder nossa vergonha de sermos quem somos. Voltamos ao tema do autoconhecimento. E como entender que nós não somos somente a identidade que projetamos e nos aproximarmos da nossa essência? Sempre devemos lembrar-nos:

Nós não somos os nossos fracassos.
Nós não somos os nossos sucessos.
Grandes histórias acontecem quando os protagonistas estão engajados.
E o WDS 2013 terminou. Informação, emoção e significado. O evento de 2014 já foi anunciado. Novamente em Portland, EUA. Nos últimos anos, os ingressos esgotaram rapidamente. Quem quiser ficar antenado com as notícias é só se inscrever lá no site do evento http://worlddominationsummit.com/register/#primary-content

Depois de tanta coisa, fomos curtir a festa de encerramento na Pioneer Square. Todo mundo arriscando uma bollywood dancing ao som do DJ Prashant





  


Até a próxima!


Receba este blog
Envie
ComenteLer comentários (0)

Marcadores: ,