Um tempo para mim

Os dias passam turbilhão.
Até este momento.

O quando onde todo o tempo é meu.
Aquietar-me.
Sentir-me
Ser-me

Cada minuto traz em si imprevistos, demandas, vozes alheias.
Até agora.

Onde um suave ronronar de carros lá fora embala meu estar só.
Eu e meus pensamentos.
Eu e meus sentimentos.
A liberdade singela das coisas poucas.
O trivial refrescante.
A pausa onde tudo encontra seu lugar.
Eu comigo.

Amanhã é um novo amanhã, cheio de possibilidades.
Encontros, afazeres, conversas.
Hoje não.
Desfruto o ar fresco do verão fora de hora.
Aprecio a beleza do ócio relativo.
Os ponteiros do relógio respiram, mais aliviados.
Não é preciso demais.
Um banho. Um suspiro. Uma espera.
Descanso para as pernas e o coração.
Bate mais compassado, sereno.
Uma valsa de intimidade, vazios deliciosos.
Ouvir-me.
Saber-me.
Reconhecer-me.
Basta uma tarde assim e as gavetas da vida rearrumam-se sozinhas.

Marcadores: