Um novo Viver Mais Simples

Os ares andaram cinzentos aqui neste blog.
"Você anda meio tristinha"
"Gostei do tom mais sóbrio e maduro"
Original Batik Silk Painting  by Katyasbatic

Estava atravessando uma fase de reflexões sobre o Viver Mais Simples.
Duas perguntas básicas:

"Como anda a vida?"
A vida andava (anda)... Real.
Ou seja, momentos maravilhosos como minha recente ida a São Paulo, projetos incríveis, viagens e momentos em família inesquecíveis, meu livro prestes a nascer. Mesclados com conflitos, más notícias e aquelas coisas que acontecem e são parte. Mas desanimam...

Decidi abraçar esta realidade com gratidão e avançar um passo de cada vez. Mesmo que um passo pequenininho.
E, voilá, parece que o sol está mais forte em pleno inverno?

"O que precisar ser simplificado?"
 Bom, muitas coisas...

Tenho sentido falta do "Por que não?", sinto falta dos amigos e de uma certa liberdade de estar sem rumo.
Meus filhos tem seis e dez anos. Dizem que vai piorar na adolescência, mas há dias em que é difícil acreditar.
O trabalho está indo muito bem, mas o sucesso traz as inevitáveis coisas chatas que é preciso entregar junto com os projetos maravilhosos....
O casamento está bem fortalecido, mas sempre é desafio encontrar tempo para cultivá-lo entre tantos pratinhos.
Ser eu mesma e pertencer a uma família de origem gigante e com valores arraigados... Tem seus bons e maus momentos.

A resposta para lidar com isso tem sido foco.

Foco nas crianças, acima de tudo.  Tempo de estar juntos, prestar atenção nas dores e alegrias de cada um.  Criar espaço e oportunidade para crescimento e colo.

Foco no casamento: encontrar novos e velhos pontos em comum.  Aquele cinema ocasional ou mesmo tv na sala, depois que as crianças dormem. Conversa, conversa, conversa.

Foco no trabalho.  Escolher prioridades. Saber usufruir dos dias onde há mais disposição. Buscar expansão investindo 20% do esforço no que dá 80% de satisfação emocional e financeira.
Dizer nãos difíceis. Dizer sim também.

Foco em mim. Não deixar a acupuntura e terapias.  Respeitar  meu cansaço, tristeza, seja o que for. Continuar na busca espiritual. Cultivar meus rituais.
E saber que há um tanto de fora. Paciência, em breve , quando der.

Não fiz vontades frouxas em 2015. Mas percebo agora que um rio profundo foi correndo e me guiou.

A reforma da casa, a busca de equilíbrio entre mãe e empreendedora.
A nova forma, mais profunda, de ser companheira de meu companheiro.
Um novo refinamento, ainda em curso, nas relações familiares.
O trabalho mais consistente, mais inteiro, mais com minha cara.
E eu, mais sóbria, mais dentro de mim.

O Viver Mais Simples entra em nova fase e novidades virão.
A caminhada cada vez mais própria, os desafios cada vez mais límpidos.
Sinto-me renascer uma vez mais, desta vez com cabelos mais brancos.
É bom.
Seguimos.