Fio da Meada

Penélope, teço e desfaço a teia, repetidamente.
Perdi o fio da meada.
Recomeço ao avesso, improvisando as tramas.
Reforço ou remendo, nunca sei.
Invoco céus e da terra.
Onde está este fio, tão precioso?
Costurava o amor, a vida, o amanhã.
Fecho os olhos, intuo.
O fio está no fundo mais fundo do mais dentro dentro.
É preciso pausa-mergulho.
Valsa difícil
Aos tropeços, me liberto
Sonho pássaros
Forjo pipas
O fio da meada balouça no céu anil