Asas abertas

Imagem: Fernando Siqueira
Esta semana, experimentei novamente um sentimento que tem me movido nos últimos anos.
Era a estreia do VOE, meu novo sonho. Eu tinha 20 minutos para realizar algo que eu havia planejado para uma hora inteira.
Respirei fundo, "a verdade é a realidade". Consultei meu coração e fui.
O tempo coube. Não para o compartilhar de experiências um pouco mais demorado, mas suficiente para criar um fluxo, de mãos dadas.
Senti naquele momento a conexão que é a minha razão de viver.
Aquela hora onde o tempo congela e eu posso sentir pulsando em mim os laços formados.
O momento exato onde os olhos revelam corações acesos, pessoas sentindo, despertando.
Foi tão breve e ainda agora, ecoa.
Quando tudo parece um pouco fora do lugar, este o meu centro. O propósito por trás do meu esforço.
Despertar com palavras o florescer do outro.
Sejam meus filhos, meus amigos, meus clientes.
Ajudar cada um a colher seus próprios tesouros.
Como nesta última segunda-feira.
Valeu a viagem longa de carro, a saudade dos filhos, o cansaço no corpo.
Agora, estou pousada entre voos. Faço pausa, para recobrar forças.
Mas já, já , é tempo de voar de novo.