Para Homens e Mulheres, por Érica Cavour

Jolly Edition


Hoje é o dia Internacional das Mulheres
É preciso ter este dia embora não sejamos exatamente uma minoria.
É preciso que seja internacional pois estamos falando de um fenômeno mundial.
Uma realidade de menosprezo pelo feminino, de submissão das mulheres e de violência misógina que existe em todo planeta e em apenas alguns lugares foi reformulada.
Eu amo ser mulher. Amo amar as mulheres e homens da minha vida.
Reverencio hoje a parceria sublime entre masculino e feminino capaz de gerar novas vidas.
Acredito ser desta parceria que pode emergir uma nova forma de Vida na Terra: mais amorosa, mais justa, mais sustentável.
Penso que hoje o convite é para tornamos mais consciente o que pensamos sobre ser homem e ser mulher.
Que atributos existem em cada um de nós ancorado no masculino e no feminino em cada indivíduo? O que você, homem ou mulher, herdou de seus avôs e de suas avós? O que há de seu pai e de sua mãe em você?

Eu admiro Yunus, homem vencedor do Prêmio Nobel da Paz por ter criado o microcrédito para mulheres ao reconhecer que mulheres têm o talento de pensar e agir em redes colaborativas e estender o benefício do crédito à outras famílias.

Eu admiro Malala vencedora do Prêmio Nobel da Paz que lutou bravamente pelo direito de estudar como os meninos de seu país.

Ambas as ações aproximam homens, mulheres e seus mundos, formando possibilidades de interação construtiva e sustentável para mulheres e homens.